Google+ Followers

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

POR: FAGUNDES VARELLA

Fagundes Varella 
Nome completoLuiz Nicolau Fagundes Varella
Nascimento17 de agosto de 1841
São João Marcos
Morte18 de fevereiro de 1875 (33 anos)
Niterói
Nacionalidade Brasileiro
OcupaçãoPoeta
Magnum opusAs bruxas
Escola/tradiçãoRomantismo


Quando eu morrer adornem-me de flores,
Descubram-me das vendas do mistério,
E ao som dos versos que compus carreguem
Meu dourado caixão ao cemitério.

Abram-me um fosso no lugar mais fresco,
Cantem ainda, e deixem-me cantando;
Talvez assim a terra se converta
De suave dormir num leito brando.

Em poucos meses far-me-ei poeira,
Porém que importa, se mais pura e bela
Minh'alma livre dormirá sorrindo
Talvez nos raios de encantada estrela.

E lá de cima velarei teu sono.
E lá de cima esperarei por ti,
Pálida imagem que do exílio escuro
Nas tristes horas de pesar sorri!

Ah! e contudo se deixando o globo
Ave ditosa eu não partisse só,
Se ao mesmo sopro conduzisse unidas
Nossas essências num estreito nó!...

Se junto ao leito das finais angústias,
Da morte fria ao bafejar gelado
Eu te sentisse junto a mim dizendo:
São horas de marchar, eis-me a teu lado.

Como eu me erguera resoluto e firme!
Como eu seguira teu voar bendito!
Como espancara co'as possantes asas
O Torvo espaço em busca do infinito!

Nenhum comentário:

Postar um comentário