Google+ Followers

quinta-feira, 31 de março de 2016

POR HÉLIO LEITÃO - MORO SE TORNOU UM "APRENDIZ DE GOLPISTA"

Sérgio Moro se tornou um "aprendiz de golpista", diz secretário da Justiça do Ceará

na aula pública "em defesa pela democracia e contra o golpe", realizada na noite desta quarta-feira, 30, no auditório da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará (UFC)

http://www.opovo.com.br/app/politica/2016/03/30/noticiaspoliticas,3596015/sergio-moro-se-tornou-um-aprendiz-de-golpista-diz-secretario-da-jus.shtml 

Para Hélio Leitão, secretário estadual da Justiça e Cidadania, Moro cometeu vários excessos na Lava Jato, como nos casos de divulgação dos grampos telefônicos e na condução coercitiva do ex-presidente Lula

Publicado no Jornal "O POVO" on line 30/03/2016 


Hélio Leitão foi dos integrantes da mesa de debate realizada na Faculdade de Direito da UFC


Auditório da Faculdade de Direito da UFC ficou lotado durante aula pública

Atualizada às 22h19min O POVO 30/03/2016
A atuação do juiz Sérgio Moro foi bastante criticada pelos juristas componentes da mesa da aula pública "em defesa pela democracia e contra o golpe", realizado na noite desta quarta-feira, 30, no auditório da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará (UFC), localizado no Centro. O secretário estadual da Justiça e Cidadania, Hélio Leitão, um dos participantes do debate, chamou o responsável pelas investigações da operação Lava Jato de "aprendiz de golpista" e disse que o pedido de desculpa de Moro ao Supremo Tribunal Federal (STF), neste momento, já não faz diferença.

Para Hélio, Moro cometeu vários excessos na Lava Jato, como nos casos de divulgação dos grampos telefônicos e na condução coercitiva do ex-presidente Lula. O secretário afirma que o magistrado da Justiça Federal do Paraná deixou de exercer suas funções para se tornar uma peça importante do jogo político. "Ele divulgou um conteúdo de interceptação telefônica, que foi capturado quando ele já teria mandado cessar as interceptações. Quando Moro divulgou, ele despiu a toga de magistrado e se tornou protagonista de uma cena política rasteira e, neste momento, deixou de ser juiz. Essa mea culpa (pedidos de desculpa), a essa altura do campeonato, não faz muita diferença", disse Leitão ao O POVO Online.

Durante discurso na mesa, Hélio também aproveitou para criticar o juiz federal. “No momento em que ele põe de parte os interesses da justiça e faz da ação judicial, da magistratura, um instrumento a serviço do golpe, se torna um aprendiz de golpista", acusou o secretário. Leitão ainda criticou as fundamentações do processo de impeachment e classificou com um "grande equívoco" a decisão da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de apoiar a ação . Para advogada e professora adjunta da UFC, Cynara Monteiro, que presidiu a mesa na aula pública, o pedido de impeachment não utiliza bases verdadeiras. "O atual processo de impeachment da presidente Dilma é ilegítimo porque as bases não são verdadeiras. As pedaladas fiscais não constituem operação de crédito, portanto não tem crime de responsabilidade. O áudio (grampo telefônico) é uma prova ilícita, portanto não pode ser utilizado", comentou ela.

Entre outros assuntos colocados na mesa, foram levantadas questões sobre a nomeação do ex-presidente Lula e a ordem econômica internacional. Além de Cynara e Hélio, participaram como palestrantes na ocasião: professor Newton Albuquerque (UFC), professor Martônio Mont'Alverne (procurador do Município de Fortaleza, Unifor), professora Gretha Leite Maia (UFC), professor Felipe Braga (UFC), professor Fábio Sobral (Economia-UFC) e o secretário adjunto da Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas, Marcelo Uchôa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário