Google+ Followers

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Soneto XLIII - Elizabeth Barrett Browning

http://www.avozdapoesia.com.br/obras_ler.php?obra_id=10661&poeta_id=45

Elizabeth Barrett Browning 


Elizabeth Barrett Browning (KelloeDurham6 de Março de 1806 — Florença29 de Junho de 1861) foi uma poetisa inglesa da época vitoriana.
Autora de Sonetos da Portuguesa, reunião de poemas românticos — sua própria história de amor com o marido, o também poeta Robert Browning. Um destes poemas (o de número 43) é considerado o mais belo escrito por uma mulher em língua inglesa:
Amo-te quanto em largo, alto e profundo
Minh'alma alcança quando, transportada,
Sente, alongando os olhos deste mundo,
Os fins do Ser, a Graça entressonhada.
Amo-te em cada dia, hora e segundo:
À luz do sol, na noite sossegada.
E é tão pura a paixão de que me inundo
Quanto o pudor dos que não pedem nada.
Amo-te com o doer das velhas penas;
Com sorrisos, com lágrimas de prece,
E a fé da minha infância, ingênua e forte.
Amo-te até nas coisas mais pequenas.
Por toda a vida. E, assim Deus o quisesse,
Ainda mais te amarei depois da morte.
Tradução de Manuel Bandeira.
Elizabeth foi a dona do Cocker Spaniel que inspirou Virginia Woolf a escrever Flush.

Fonte: Wikipédia

Nenhum comentário:

Postar um comentário