Google+ Followers

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

PARABÉNS, MARIA!

Hoje, Fortaleza acordou em festa. Maria Luiza Fontenele aniversaria. Parabéns, guerreira! A cidade de Fortaleza se orgulha de sua primeira prefeita mulher. Que Você possa ainda comemorar essa data por muitos e muitos anos, para alegria de todos nós, seus amigos e admiradores.





MARIA LUIZA FONTENELE - DADOS BIOGRÁFICOS

Por: Ana Margarida Arruda Rosemberg


Maria Luíza Menezes Fontenele, filha de Diva Menezes Fontenele e Antônio Fontenele, nasceu no dia 27 de novembro de 1942, em Quixadá-CE. 
Iniciou sua militância política no movimento estudantil secundarista integrada à Juventude Estudantil Católica. 
Em 1965, colou grau em Ciências Sociais pela UFC. 
Em 1973, concluiu o curso de mestrado em sociologia na Universidade de Vanderbilt, nos Estados Unidos. 
Atuou, quando era aluna do Curso de Serviço Social, nas comunidades carentes do Pirambu e ingressou como professora da UFC, em 1967.  
Foi eleita deputada estadual pelo extinto MDB (1979-1982) e reeleita pelo PMDB (1983-1986). 
Participou intensamente pelo fim da ditadura participando do Movimento Feminino pela Anistia. 
Em 1986, foi eleita prefeita de Fortaleza-CE, pelo PT. Foi, assim, a primeira mulher prefeita de uma capital brasileira. 
Assumiu uma prefeitura endividada cuja a folha de pagamento era do tamanho da receita e uma política fiscal que concentrava os recursos nas mãos da União e do Estado. 
Sem dinheiro e sem o apoio do então governador Tasso Jereissati, Maria Luiza enfrentou uma greve dos servidores municipais e a insatisfação da população. 
Sem contar com ajuda dos vereadores, ela terminou a administração com baixa popularidade. 
Foi expulsa do PT, em 1987, e filiou-se ao PSB. 
Em 1990, foi eleita deputada federal, pelo PSB. 
Como deputada federal, participou da elaboração da Lei de Diretrizes e Bases da Educação, integrou a comissão Parlamentar de Inquérito que investigou a prostituição infantil no Brasil. 
Defendeu a educação pública de qualidade, a reforma agrária e a reforma urbana. 
Em 1993, deixou o PSB e filiou-se ao PSTU. Maria Luiza é professora aposentada da UFC e participa dos movimentos sociais. 
É uma das fundadoras da União das Mulheres Cearenses (UMC) e do grupo Crítica Radical.  
O referido grupo foi criado com: Rosa da Fonseca, Jorge Paiva, Célia Zanetti e outros. 
Este grupo luta por uma transformação radical da sociedade no sentido de reverter o genocídio que se abate na humanidade e o ecocídio do planeta. 
Este grupo luta por um novo tipo de organização social para superar esse sistema patriarcal produtor de mercadorias. 
Maria Luiza tem uma filha, Andrea, fruto de seu casamento com Agamenon Tavares de Almeida.


2 comentários:

  1. Parabéns Ana! Bela homenagem para uma amiga e pessoa pública de grande valor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Ângela! Devemos preservar a memória daqueles e daquelas que lutaram e lutam por uma sociedade melhor.

      Excluir