Google+ Followers

sábado, 31 de outubro de 2015

POR: ANA MARGARIDA ROSEMBERG - A FORTALEZA DE FILIPE AUGUSTO (FILIPE II)

Foto da base da Fortaleza de Filipe Augusto

Foto da base da Fortaleza de Filipe Augusto

Maquete da Fortaleza do Louvre
Publicado no Jornal do Médico. Ano XI, edição 65 (setembro-outubro), pág. 16
www.jornaldomedico.com.br



A Fortaleza de Filipe Augusto (Filipe II)

Situado no centro de Paris, na margem direita do rio Sena, entre o Jardim das Tulherias e a Igreja Saint-Germain-l’Auxerrois, o Louvre é um dos maiores e mais importantes museus do Mundo. Seu acervo possui mais de 380 mil itens com 35 mil obras de arte em exibição permanente, abrangendo oito mil anos da cultura e da civilização tanto do Oriente quanto do Ocidente.
A Pirâmide de Vidro, erigida em 1989, fica ao lado da estátua equestre de Louis XIV, e marca o ponto de partida para quem se aventura a mergulhar no museu. Os aproximados dez milhões de visitantes por ano, fazem do Louvre o museu mais visitado do Mundo. O que a maioria deles não sabe é que o museu se situa no antigo palácio dos reis da França, ou seja, Palais du Louvre, cuja origem remonta há um milênio.
A palavra “Louvre”, que significa lugar fortificado, tem origem anglo-saxônica, segundo uma hipótese. Outra hipótese é que deriva do francês arcaico lauer ou lower cujo significado é "torre de guarda".
A primeira fortaleza do Louvre foi construída por Filipe II (1165–1223). Segundo a historiadora Ina Caro, Filipe II foi o primeiro rei a amar Paris, seguido, quatrocentos anos depois, por Henrique IV (1553-1610). Logo que foi coroado, Filipe II começou a embelezar a cidade e o fez durante os 43 anos de seu reinado.  
Descendo pela escada rolante sob a pirâmide de vidro do arquiteto chinês I. M. Pei, nos deparamos com um imenso vão que dá acesso às três alas do Louvre: Denon, Richelieu e Sully. Aconselho ao turista a começar sua visita pela Ala Sully para apreciar o Louvre Medieval, no subsolo.  Lá encontra-se a base da Fortaleza de Filipe II.  A mesma foi descoberta quando a pirâmide estava sendo construída.
Ao adentrar o imenso salão, a primeira coisa que o visitante se depara é com um modelo, tipo uma maquete, de um castelo medieval.  O modelo tem uma muralha ameada consistindo de seleiras (brechas que permitiam que os arqueiros disparassem as suas armas) e merlões (locais mais elevados para a proteção dos arqueiros). Tem, também, dez torres. Quando o visitante se vira, fica perplexo ao ver a verdadeira base da fortaleza, com proporções gigantes.
A fortaleza era ligada a cerca de cinco quilômetros de muro que, após 21 anos de construção, circundaram a cidade de Paris. O muro, com três metros de largura e nove de altura, servia para reforçar a defesa da cidade. Com esta fortaleza, Felipe II fez de Paris o centro político e religiosos do reino.
Com Filipe III (1245-1285), o Louvre foi ampliado. Somente durante o reinado de Carlos V (1338-1380) o palácio tornou-se residência real. Com o tempo, a antiga fortaleza militar medieval tornou-se um complexo de prédios devotados à cultura.
Somente depois de ver aquela estrutura medieval e emergir do subsolo para ver o museu, temos a ideia do passado e do presente do esplendoroso Louvre
Ana Margarida Arruda Rosemberg
Fortaleza, 20/09/2015


Nenhum comentário:

Postar um comentário