Google+ Followers

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

NOITE DE AUTÓGRAFOS - ISAAC FURTADO - VÍDEO



Vi páginas passando.
Vi versos de uma noite em comunhão.
Vi arte, vi emoção.
Um pouco apenas, para não transbordar.
Um pouco é muito, quando não basta o coração.
Quando páginas passam ao som do clarão do luar, não há nada mais amiga Ana, nada mais a declarar.
 
Isaac Furtado

NOITE DE AUTÓGRAFOS - ISAAC FURTADO - 30/01/2014


APRESENTAÇÃO DO LIVRO "CADERNO 47- Poesias biográficas" - pelo autor Isaac Furtado
Ideal Club, Fortaleza-CE - 30/01/2014

EXPOSIÇÃO DO DR. IRAN RABELO NA ACADEMIA CEARENSE DE MEDICINA - 4ª PARTE


 A CARTA DE FORTALEZA- MEDICAMENTOS COMERCIALIZADOS NO BRASIL - 29/01/2014

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

EXPOSIÇÃO DO DR. IRAN RABELO NA ACADEMIA CEARENSE DE MEDICINA - 3ª PARTE


 A CARTA DE FORTALEZA- MEDICAMENTOS COMERCIALIZADOS NO BRASIL - 29/01/2014

EXPOSIÇÃO DO DR. IRAN RABELO NA ACADEMIA CEARENSE DE MEDICINA - 2ª PARTE

A CARTA DE FORTALEZA- MEDICAMENTOS COMERCIALIZADOS NO BRASIL - 29/01/2014

ACADEMIA CEARENSE DE MEDICINA NA LUTA PELA QUALIDADE DOS MEDICAMENTOS NO BRASIL

Em maio de 2013, a Academia Cearense de Medicina realizou sua XV BIENAL, em Fortaleza, com a Comissão Científica formada pelos doutores: Antônio Carlile Holanda Lavor, José Henrique Leal Cardoso, José Iran de Carvalho Rabelo, Manassés Claudino Fonteles e Manoel Odorico de Morais Filho. 

O tema abordado foi: "Qualidade dos medicamentos comercializados no Brasil". 
Como desdobramento da referida Bienal, foi realizada uma Audiência Pública, em dezembro de 2013, requerida pela deputada Gorete Pereira, para debater a qualidade dos medicamentos no Brasil. 
Ontem, 29/01/2014, a Academia Cearense de Medicina, que tem em sua Presidência o Dr. João Pompeu Randal, realizou a sua reunião mensal com a participação do Deputado Raimundo Gomes de Matos e do Dr. Iran Rabelo, que fez a seguinte exposição: "A CARTA DE FORTALEZA - QUALIDADE DOS MEDICAMENTOS NO BRASIL". 
Parabéns ao Dr. Iran Rabelo pela brilhante exposição e por sua relevante luta em favor de nossa população.








Dr. João Pompeu Randal- Presidente da ACM



Deputado Raimundo Gomes de Matos

Dr. Flávio Leitão

Dr. Antero Coelho Neto

 
 

A ARTE DE JANA ARRUDA - SITE

 L'ART DE PRENDE LES PHOTOS

http://janaarruda.com/newborn-2/

sábado, 25 de janeiro de 2014

PARABÉNS, SÃO PAULO!

 DECLARAÇÃO DE AMOR À SAMPA

Para homenagear SAMPA, na data de seu 460º aniversário, posto o final de um texto que escrevi, em setembro de 2008, quando voltei à Paulicéia Desvairada.

(...) Depois de apreciar da janela de minha sala a igreja iluminada no alto de um morro (ainda não descobri o nome desta igreja que me lembra a “Sacré Coeur” de Paris), declarei meu amor à SAMPA. Cidade dos modernistas como: Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Anita Malfatti, Menotti Del Pichia, Victor Brecheret e tantos outros que fizeram a semana de Arte Moderna, também conhecida por semana de 22, pois ocorreu entre 11 e 18 de fevereiro de 1922, no Teatro Municipal. No curto tempo de 7 dias foram apresentadas poesias, músicas e palestras sobre a modernidade, representando uma verdadeira renovação de linguagem, na busca de experimentação, na liberdade criadora na ruptura com o passado. O evento marcou época ao apresentar novas idéias e conceitos artísticos dando inicio ao Modernismo no Brasil. A poesia através da declamação, antes, era só escrita. A música por meio de concertos, só havia cantores sem acompanhamento de orquestras sinfônicas. A arte plástica exibida em telas, esculturas e maquetes de arquiteturas, com desenhos arrojados e modernos etc, etc... São Paulo passou a se impor no Brasil pela cultura...

Com a alma leve e feliz declarei meu amor à cidade que me fez historiadora, que me abriu novos horizontes...Cidade, enfim, do querido Rose, onde vivi anos de plena felicidade...

Ana Margarida Rosemberg.











quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

POR: LEONARDO BOFF - Os rolezinhos nos acusam: somos uma sociedade injusta e segregacionista

 
Leonardo Boff

 Publicado em seu blog

 http://leonardoboff.wordpress.com/2014/01/23/os-rolezinhos-nos-acusam-somos-uma-sociedade-injusta-e-segregacionista/

 

Os rolezinhos nos acusam: somos uma sociedade injusta e segregacionista

23/01/2014
O fenômeno dos centenas de rolezinhos que ocuparam shoppings centers no Rio e em  São Paulo suscitou as mais disparatadas interpretações. Algumas, dos acólitos da sociedade neoliberal do consumo que identificam cidadania com capacidade de consumir, geralmente nos jornalões da mídia comercial, nem merecem consideração. São de uma indigência analítica de fazer vergonha.
Mas houve outras análises que foram ao cerne da questão como a do jornalista Mauro Santayana do JB on-line e as de três  especialistas que avaliaram a irrupção dos rolês na visibilidade pública e o elemento explosivo que contém. Refiro-me à Valquíria Padilha, professora de sociologia na USP de Ribeirão Preto:”Shopping Center: a catedral das mercadorias”(Boitempo 2006), ao sociólogo da Universidade Federal de Juiz de Fora, Jessé Souza,”Ralé brasileira: quem é e como vive (UFMG 2009) e  de Rosa Pinheiro Machado, cientista social com um artigo”Etnografia do Rolezinho”no Zero Hora de 18/1/2014. Os três deram entrevistas esclarecedoras.
Eu por minha parte interpreto da seguinte forma tal irrupção:
Em primeiro lugar, são jovens pobres, das grandes periferias,  sem espaços de lazer e de cultura, penalizados por serviços públicos ausentes ou muito ruins como saúde, escola, infra-estrutura sanitária, transporte, lazer e segurança. Veem televisão cujas propagandas os seduzem para um consumo que nunca vão poder realizar. E sabem manejar computadores e entrar nas redes sociais para articular encontros. Seria ridículo exigir deles que teoricamente tematizem sua insatisfação. Mas sentem na pele o quanto nossa sociedade é malvada porque exclui, despreza e mantém os filhos e filhas da pobreza na invisibilidade forçada. O que se esconde por trás de sua irrupção? O fato de não serem incluidos no contrato social. Não adianta termos uma “constituição cidadã” que neste aspecto é apenas retórica, pois  implementou muito pouco do que prometeu em vista da inclusão social. Eles estão fora, não contam, nem sequer servem de carvão  para o consumo de nossa fábrica social (Darcy Ribeiro). Estar incluído no contrato social significa ver garantidos os serviços básicos: saúde, educação, moradia, transporte, cultura, lazer e segurança. Quase nada disso funciona nas periferias. O que eles estão dizendo com suas penetrações nos bunkers do consumo? “Oia nóis na fita”; “nois não tamo parado”;”nóis tamo aqui para zoar”(incomodar). Eles estão com seu comportamento rompendo as barreiras do aparheid social. É uma denúncia de um país altamente injusto (eticamente), dos mais desiguais do mundo (socialmente), organizado sobre um grave pecado social pois contradiz o  projeto de Deus (teologicamente). Nossa sociedade é conservadora e nossas elites altamente insensíveis  à paixão de seus semelhantes e por isso cínicas. Continuamos uma Belíndia: uma Bélgica rica dentro de uma India pobre. Tudo isso os rolezinhos denunciam, por atos e menos por palavras.
Em segundo lugar,  eles denunciam a nossa maior chaga: a desigualdade social cujo verdadeiro nome é injustiça histórica e social. Releva, no entanto, constatar que com as políticas sociais do governo do PT a desigualdade diminiui, pois segundo o IPEA os 10% mais pobres tiveram entre 2001-2011 um crescimento de renda acumulado de 91,2% enquanto a parte mais rica cresceu 16,6%. Mas esta diferença não atingiu a raíz do problema pois o que supera a desigualdade é uma infraestrutura social de saúde, escola, transporte, cultura e lazer que funcione e acessível a todos. Não é suficiente transferir renda; tem que criar oportunidades e oferecer serviços, coisa que não foi o foco principal no Ministério de Desenvolvimento Social. O “Atlas da Exclusão Social” de Márcio Poschmann (Cortez 2004) nos mostra que há cerca de 60 milhões de famílias,  das quais cinco mil famílias extensas detém 45% da riqueza nacional. Democracia sem igualdade, que é seu pressupsto, é farsa e retórica. Os rolezinhos denunciam essa contradição. Eles entram no “paraíso das mercadorias” vistas virtualmente na TV para ve-las realmente e senti-las nas mãos. Eis o sacrilégio insuportável pelos donos do shoppings. Eles não sabem dialogar, chamam logo a polícia para bater e fecham as portas a esses bárbaros. Sim, bem o viu T.Todorov em seu livro “Os novos bárbaros”: os marginalizados do mundo inteiro estão saindo da margem e indo rumo ao centro para suscitar a má consciência dos “consumidores felizes” e lhes dizer: esta ordem é ordem na desordem. Ela os faz frustrados e infelizes, tomados de medo, medo dos próprios semelhantes que somos nós.
Por fim, os rolezinhos não querem apenas consumir. Não são animaizinhos famintos. Eles tem fome sim, mas fome de reconhecimento, de acolhida na sociedade, de lazer, de cultura e de mostrar o que sabem: cantar, dançar, criar poemas críticos, celebrar a convivência humana. E querem trabalhar para ganhar sua vida. Tudo isso lhes é negado, porque, por serem pobres, negros, mestiços sem olhos azuis e cabelos loiros, são desperezados e mantidos longe, na margem.
Esse tipo de sociedade pode ser chamada ainda de humana e civilizada? Ou é uma forma travestida de barbárie? Esta última lhe convem mais. Os rolezinhos mexeram numa pedra que começou a rolar. Só parará se houver mudanças.
Artigo escrito primeiramente para o JB on-line

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

POR: ANA MARGARIDA - O QUE É MELHOR NESTA VIDA?

Rose e Margô - São Paulo - 1995

Uma pequena amostra do livro " Confissões de Amor"

Rose,

O que é melhor nesta vida?

Melhor que festa de aniversário,

Que ter aumento de salário,

Que carro novo comprar,

Ter saúde e não gripar,

Não ter frio pra suportar,

Cistite, só pra curar.

Melhor do que viajar,

Perfume importado usar,

Conhecer tudo o que há,

Congressos pra frequentar,

Vestido novo usar.

Melhor que URP ganhar e pra China viajar, 4ª Conferência curtir e pra todo canto sair;

Melhor do que banho quente, cinema, TV à cabo, passeios com muita gente;

Melhor que CD comprar e Chico Buarque escutar;

Melhor que corrida organizar e do tabaco mal falar;

Melhor do que camarão, ter dinheiro de montão;

Melhor do que chupar manga, comer pera, uva, chocolate e picolé.

Melhor do que andar a pé, que festa de Natal, que Papai Noel, que presentes a granel.

Melhor do que tudo isso é com o Rose deitar, dormir juntinhos, grudados a noite toda e pelados...

Tua Margô     

  25 /07/95



quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

POR: LUIS DE CAMÕES - SETE ANOS DE PASTOR JACOB SERVIA

  O retrato de Camões por Fernão Gomes, em cópia de Luís de Resende. Este é considerado o mais autêntico retrato do poeta, cujo original, que se perdeu, foi pintado ainda em sua vida. Fonte: Wikipedia      



Sete anos de pastor Jacob servia


Sete anos de pastor Jacob servia

Labão, pai de Raquel, serrana bela;

Mas não servia ao pai, servia a ela,

E a ela só por prémio pretendia.

Os dias, na esperança de um só dia,

Passava, contentando-se com vê-la;

Porém o pai, usando de cautela,

Em lugar de Raquel lhe dava Lia.


Vendo o triste pastor que com enganos

Lhe fora assi negada a sua pastora,

Como se a não tivera merecida;


Começa de servir outros sete anos,

Dizendo: – Mais servira, se não fora

Para tão longo amor tão curta a vida!







quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

POR: JOSÉ ROSEMBERG - EU TE AMO ETERNAMENTE

         
Margô e Rose -  Vale de Loire - França - Setembro de 1995




              EU TE AMO ETERNAMENTE

                                José Rosemberg


Não sou poeta para o amor definir

E o que por você sinto, consiga traduzir.

Você nos meus glóbulos vermelhos 
está presente,

Inundando o sangue de minha 
       circulação

A passar seguidamente no meu coração.

Que com batidas em ritmo permanente,

Repete, Margot, em sequencia sempre  fremente:

Eu te amo, te amo, te amo, eternamente. 


                 São Paulo, 21 de maio de 1995

POR: LUIS DE CAMÕES - BUSQUE AMOR NOVAS ARTES, NOVO ENGENHO

Luis de Camões

Busque Amor novas artes, novo engenho
Para matar-me, e novas esquivanças,
que não pode tirar-me as esperanças,
que mal me tirará o que eu não tenho.
Olhai de que esperanças me mantenho!
Vede que perigosas seguranças!
Que não temo contrastes nem mudanças,
Andando em bravo mar, perdido o lenho.
Mas, enquanto não pode haver desgosto
Onde esperança falta, lá me esconde
Amor um mal, que mata e não se vê,
Que dias há que na alma me tem posto
Um não sei quê, que nasce não sei onde,
Vem não sei como e dói não sei porquê


sábado, 11 de janeiro de 2014

VÍDEO COMENDA SINDICAL MÉDICA 2013 - DR. RAIMUNDO BARBOSA


COMENDA SINDICAL MÉDICA 2013 - DR. RAIMUNDO BARBOSA BARROS

O Sindicato dos Médicos do Estado do Ceará realizou, ontem, dia 10 /01/2014, às 20h, no Teka's Buffet, em Fortaleza-CE, a solenidade de entrega da Comenda Sindical Médica 2013 ao Dr. Raimundo Barbosa Barros. 
Na ocasião, o Dr. José Huygens Parente Garcia foi agraciado com uma placa pelo pioneirismo em transplantes hepáticos no Estado do Ceará. 
Parabéns aos Drs. Barbosa e Huygens pelas merecidas homenagens. 



























quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

SOLENIDADE DE CONCLUSÃO DE MESTRADO EM PSICOLOGIA - LIANA ARRUDA


A Vice-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UNIFOR incluiu, durante a cerimônia de Colação de Grau da graduação referente ao semestre 2013.2, a solenidade de conclusão de cursos Stricto Sensu, com a participação de todos os alunos que concluíram mestrado e doutorado durante o ano de 2013.
Liana Arruda Teixeira participou desta solenidade, ao lado de sua madrinha (Ana Margarida Rosemberg), por ter concluido Mestrado em Psicologia.
Parabéns, Liana, por esta importante conquista!

Data - 07/01/2014
Local - Universidade de Fortaleza - UNIFOR