Google+ Followers

quinta-feira, 3 de abril de 2014

POR: LUIS SUCUPIRA - HONROSA EXCEÇÃO

 
MIGUEL EDGY TÁVORA ARRUDA


HOJE, SE VIVO FOSSE, MEU PAI, CAPITÃO MIGUEL EDGY TÁVORA ARRUDA, ESTARIA COMPLETANDO 95 ANOS.
PARA HOMENAGEÁ-LO, UM TEXTO DE LUIS SUCUPIRA..





HONROSA EXCEÇÃO

A cidade de Baturité foi administrada nos últimos quatro anos pelo Capitão Miguel Edgy Távora Arruda, que acaba de publicar a prestação de contas, apresentada à Câmara Municipal, referentes ao ano de 1954, com um retrospécto relativo aos anteriores exercícios de sua gestão, a começar de 1951. É um trabalho digno de admiração e de aplausos, êsse magnífico relatório do ex-edil baturiteense, e pode servir tão profícuo e meticuloso documento como padrão para todos os demais gestores dos negócios municipais do Estado. Encontrando as rendas públicas na quota dos 850 contos, entregou-as ao seu sucessor no limite de 2.200 contos, por ano, o que é bem um admirável recorde. Mas o que ressalta na prestação de contas do digno administrador é a preocupação que o anima de não deixar sem explicação um só centavo gasto no seu governo e tudo isso documentada e pormenorizadamente, fazendo ainda acompanhar o folheto, de 50 páginas, de numerosas fotografias das obras realizadas e que foram de grande monta, a começar pelos serviços de água, esgotos e iluminação pública, não ficando esquecidos os referentes à educação, pavimentação e estradas de rodagem. Também é de suma importância o capitulo em que o Capitão Edgy Távora Arruda põe à vista de todos a sua situação financeira, com a declaração dos bens que possuia no inicio e no final de sua gestão. Edifica ver como o homem pobre e probo que assumiu o poder municipal há quatro anos, dele saiu com mãos limpas e bolsos mais limpos ainda. Não possui depósitos bancários nem quaisquer outros valores, voltando, assim, para as suas atividades normais, de que foi afastado, apenas com mais idade e mais esfalfado, por ter dado ao povo que dirigia todo o seu esforço, toda a sua dedicação e todo o seu tempo. Parcela por parcela, alinha ele os gastos feitos com a chamada “cota de imposto de renda”, podendo, assim, ser apresentado como, ao que se sabe, o único Prefeito que, até agora, prestou contas realmente desse manancial com que se beneficiaram as municipalidades de todo o País. E, para seu gáudio, a Câmara de Baturité, em Resolução unânime de 12 de março deste ano, aprovou-lhe as contas de 1954, como já tinha aprovado as dos demais exercícios. Eis aí um exemplo que merece ser apontado aos demais gestores dos municípios em nosso Estado. É uma honrosa exceção, que, por isso, merece ser destacada, apoiada e aplaudida.
Luis Sucupira
Fortaleza, 9 de abril de 1955.

OBS: Extraido da Coluna “Fato do Dia” do Jornal “O Nordeste” de 9 de abril de 1955

Nenhum comentário:

Postar um comentário