Google+ Followers

terça-feira, 28 de maio de 2013

O BODE IOIÔ

 
O BODE IOIÔ no MUSEU DO CEARÁ


Quem visita o Museu do Ceará fica curioso quando se depara com um bode empalhado, o famoso Bode Ioiô. 
A história de fama do bode se inicia, em 1915, quando o mesmo foi trazido por um retirante para Fortaleza, durante a seca. O bode vivia perambulando livremente pela cidade e angariou a simpatia de seus moradores. Foi apelidado de Ioiô, pois ia da praia de Iracema ao centro da cidade, subindo e descendo, como um ioiô. 
Adotado pelos boêmios e artistas que lhe davam cachaça no famoso Café Java, na Praça do Ferreira, Ioiô ficou famoso e foi eleito o vereador mais votado nas eleições de 1922. Ioiô participou de atos políticos em coretos, praças e saraus literários, comeu a fita inaugural do Cine Moderno, assistiu peça no Theatro José de Alencar, passeou de bonde, perambulou pelas igrejas e até pela Câmara Municipal. 
O bode Ioiô,  figura folclórica da cultura popular, tornou-se o bicho símbolo da cidade de Fortaleza e inspirou escritores, artistas e até cineastas. No filme "Um bode chamado Ioiô", de Cartaxo Arruda, que nunca chegou a ser rodado, ele ajuda a derrubar a oligarquia da família Aciolly.  Segundo Raimundo Girão, autor do livro "Geografia da Estética Cearense", o bode Ioiô era um cidadão como outro qualquer.
Ioiô faleceu, em 1931, e teve o seu corpo embalsamado e doado ao Museu do Ceará.

Ana Margarida Rosemberg
Fortaleza, 28 de maio de 2013.

fontes: 
http://www.ceara.com.br/cepg/h40.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Bode_Ioi%C3%B4



2 comentários:

  1. Muito interessante. Desconhecia totalmente. Mais uma vez, Ana, uma história peculiar de nossa cidade.Parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Somente em Fortaleza, um bode seria imortalizado desta maneira. Peculiaridades nossas, Fátima. Obrigada pelo comentário. abraço, anamargarida

    ResponderExcluir