Google+ Followers

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

CARTA AO DANIEL



Jana, Daniel e Liana - meus amores - Campinas-SP - dia 18 de dezembro de 2003


Jaguariúna, 19 de dezembro de 2003.



Querido filho.



Ontem, a magia do pensamento me fez retroceder no tempo, há exatos 29 anos, e em outro Ginásio (Paulo Sarasate), em outra cidade (Fortaleza), me vi de beca, no desabrochar de minha juventude, feliz e radiante, no dia de minha colação de grau.  

Tempos diferentes...

Lugares diferentes...

Festas diferentes...

Em comum: o brilho no olhar tranqüilo e terno, o sorriso generoso e feliz, as fantasias, devaneios e planos para uma vida nova e um futuro promissor.

Em comum também, a realização de um sonho.

O sonho de ser médico!

Invadiu-me um turbilhão de emoções, um misto de alegria, nostalgia, felicidade e paz. Fui buscar no fundo de minhas lembranças o inicio de tudo, o momento sublime do teu nascimento...

Fruto de uma avassalante história de amor, vieste ao mundo numa tarde de fevereiro, com uma penugem dourada e macia na cabeça e um rostinho de príncipe.

 Eu, envolta na magia de ser mãe, pela segunda vez, envolvi nos meus braços aquele régio presente.

Nasceste predestinado...

Vieste ao mundo com os pezinhos pra frente!

Bem cedo, demonstraste amor aos livros. Bem cedo, começaste a ler e não mais paraste.

 Construindo uma base sólida no colégio 7 de Setembro, foste depois para o Redentorista, Capital, Geo e finalmente, Unicamp.

 Acompanhei todos os teus passos, todos os momentos de alegria, tristeza, ansiedade e vitória.

Hoje, te vejo médico.

Dr. Daniel Arruda Teixeira (o Arrudinha), prestes a cursar residência em anatomia patológica. Com o sólido alicerce cientifico e cultural construído, graças ao teu esforço, dedicação e competência, galgarás uma carreira brilhante coroada por todos os êxitos.

Sinto uma paz dentro de mim por ter cumprindo minha missão e uma gratidão profunda ao Rose, teu segundo pai, por ter me dado forças e ter te orientado.

Sinto também orgulho de ti, de tua inteligência, de teu caráter, teu saber, tua generosidade, tua maneira de ser, de tudo enfim, que te faz como tu és.

Meu filho!

Ontem, não pude conter as lágrimas quando te vi adentrando por aquele tapete vermelho, de beca, capelo no braço, brilho nos olhos, radiando felicidade naquele momento mágico de tua vida. Coroação de todos os teus esforços, de todos os sacrifícios, de todas as noites em claro, estudando ou em plantão, aliviando o sofrimento dos pacientes.

Outro momento emocionante foi quando teu nome soou em meio aos teus 111colegas, para receberes o diploma de médico, e tua foto ao meu lado, no dia do teu primeiro aniversário, apareceu nos dois telões.

Ao ouvir os acordes da música de Roberto Carlos “Quando eu estou aqui, eu vivo este momento lindo, olhando pra você e as mesmas emoções sentindo. São tantas já vividas, são momentos que eu não esqueci. Detalhes de uma vida...” fui chamada, ao passado e recordei minha formatura, mais uma vez.

Imagino a emoção que sentiste, com a presença de nós todos; eu, Rose, Janinha, Lianinha, Robston e até o teu pai que veio de tão longe participar de tão auspicioso acontecimento.

O juramento de Hipócrates, feito solenemente por todos, com o braço direito estendido, foi sublime. Eu ali, ao lado do Rose, na segunda fila, baixinho repeti com vocês, aquele juramento que há 29 anos não pude fazer, pois naquele exato instante, estava socorrendo o meu primeiro paciente, meu pai, acometido de uma cólica renal durante a solenidade de colação.

No final de tudo, o laser invadiu mais uma vez o palco num show de luzes.

Vi com emoção e êxtase a vibração de todos os formandos jogando os capelos para cima, sob uma chuva prateada de papel, confetes e serpentinas e ao som de apitos, gritos, aplausos e muita batucada.

Corri para te abraçar e de repente vi ao meu lado a Janinha, a Bolotinha e o Rose. Feliz, enlacei em meus braços, meu filho médico, formado pela prestigiosa e consagrada Faculdade de Medicina da UNICAMP, de São Paulo, na XXXVI turma. Este momento, como muitos outros foram eternizados pelas lentes da Janinha, nossa fotógrafa.

Já passava de 1h30min, do dia 19 de dezembro, quando eu e o Rose deixamos o Ginásio da UNICAMP e voltamos para o nosso hotel.

Cansada e feliz entreguei-me aos braços de Morfeu, deus da mitologia grega, para reviver em sonho, a solenidade de tua colação de grau.



Ana Margarida

2 comentários:

  1. Carta linda e emocionante! Sonhos realizados. Parabéns e muitas felicidades!

    ResponderExcluir
  2. Linda e emociante carta! Passei por este momento por duas vezes, na formatura dos meus filhos médicos, tantos sonhos, tanta felicidade, daqueles momentos pra cá, muitas coisas mudaram, alguns sonhos se realizaram e outros ficaram no caminho, alguns sonhos eram somente meus, e aprendi muito nestes últimos anos, principalmente que não devemos sonha por ninguém...

    ResponderExcluir