Google+ Followers

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

VISITA AO MASP


Renoir (francês, 1841-1919). Rosa e Azul, 1881. Óleo sobre tela, 119 x 74 cm.

Claude Monet (francês, 1840-1926). A Canoa Sobre o Rio Epte, 1890. Óleo sobre tela, 133 x 145cm.




Sandro Botticelli (italiano, 1445-1510). Virgem com o Menino e São João Batista criança, 1490-1500. Têmpera sobre madeira, 74 × 74 cm.

P.M. Bardi e Chateaubriand, na inauguração do MASP, em 2 de outubro de 1947.

MASP - Avenida Paulista, 1578 - São Paulo - SP

Acabo de chegar do MASP - Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubrient - e sinto-me impulsionada a registrar as minhas impressões. O MASP sempre me surpreendeu por seu IMENSO acervo. Ele é considerado o mais importante museu de arte do Hemisfério Sul, com suas 8.000 peças. Podemos apreciar Rafael, Bellini, Andrea Mantegna e Ticiano, entre os italianos; Renoir, Monet, Manet, Cézanne, Toulouse-Lautrec, Van Gogh, Gauguin e Modigliani, entre os franceses. Um pouco de cada impressionista encontramos no MASP. Os retratos das filhas de Luiz XV, pintados por Nattier e as Alegorias das Quatro Estações de Delacroix são um show a parte. A arte espanhola está representada por El Greco, Goya e Velázquez, entre outros; a inglesa por Gainsborough, Reynolds, Constable, Turner e outros mais. Dentre os flamengos, citamos Rembrandt, Frans Hals, Cranach e Memling. Dentre os brasileiros e mexicanos estão Lasar Segal, Anita Malfatti, Di Cavalcante, Flávio de Carvalho, Portinari, Rivera e Siqueiros.
O edifício sede do museu, com 11.000 metros quadrados divididos em 5 pavimentos e com vão livre de 74 metros, é um ícone da cidade de São Paulo. Em 1982, foi tombado pelo CONDEPHAAT – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado e, em 2003, pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Além de museu, o MASP proporciona diversas atividades ao público, como escola de arte, ateliês, espetáculos de dança, música e teatro, palestras e debates, cursos para professores etc. 
O MASP foi idealizado por Assis Chateaubriand e Pietro Maria Bardi e, fundado, em 1947. Inicialmente, instalou-se em quatro andares do prédio dos Diários Associados, império de Chateaubriand formado por 34 jornais, 36 emissoras de rádio, 18 estações de televisão, editora e a revista "O Cruzeiro". 
As primeiras obras de arte do museu foram selecionadas por Pietro Maria Bardi, na Europa do pós-guerra, em suas inúmeras viagens às principais capitais culturais, ao lado de Chateaubriand, que usava seu prestígio político-empresarial para arrecadar os recursos para a aquisição das obras. A sede, na Avenida Paulista, foi projetada por Lina Bo Bardi e levou 12 anos entre o projeto e a construção. O MASP, foi inaugurado em 1968, com a presença da Rainha Elizabeth II da Inglaterra, além das maiores autoridades brasileiras e da presença expressiva de populares. O museu vem proporcionando centenas de exposições de artistas estrangeiros e grandes exposições internacionais, através do Intercâmbio de obras com diversos museus no mundo. A convite do “Musèe d’Orsay”, o MASP integra, desde 2008, o “Clube dos 19”, que congrega os 19 museus cujos acervos são considerados os mais representativos da arte européia do século XIX, como o Musèe d´Orsay, The Art Institute de Chicago, Metropolitan de Nova York, entre outros. Esta introdução é para falar das três exposições temporárias que acabo de apreciar. A primeira é chamada "LUZES DO NORTE - DESENHOS E GRAVURAS DO RENASCIMENTO ALEMÃO NA COLEÇÃO BARÃO EDMOND ROTHSCHILD / MUSÉE DU LOUVRE". São 61 obras-primas da gravura renascentista alemã extraídas da magnífica coleção de 100 mil obras doadas pela família do barão Edmond de Rothschild ao Museu do Louvre, em 1935. A segunda,  OBSESSÕES DA FORMA, traz esculturas de Renoir, Degas, Brecheret e outras dezenas de artistas reverenciados em todo o mundo. A terceira, O ESPECTRO DIVERSO - 600 ANOS DE CERÂMICA COREANA, traz 70 obras-primas do século XIV até os dias de hoje, vindas do Museu Nacional da Coreia. Além destas três, pude apreciar mais duas exposições do próprio acervo do MASP.
A primeira, DEUSES E MADONAS - A ARTE DO SAGRADO,  apresenta o universo do sagrado na cultura ocidental, através de 40 obras de mestres dos séculos XIV ao XIX. A segunda, ROMANTISMO: A ARTE DO ENTUSIASMO, apresenta obras de Bosch, El Greco, Monet, Renoir, Van Gogh, Dalí, León Ferrari, Tomie Ohtake e dezenas de outros. Ela nos mostra que os ideais do Romantismo permeiam a arte produzida nos últimos 500 anos no Ocidente.
Tudo isso, pude apreciar no MASP, em uma tarde tranquila de primavera, ao lado do Rose que me guia mundo a fora. Vale a pena conferir.

Fonte:  http://masp.art.br/masp2010/index.php


Ana Margarida Furtado Arruda Rosemberg
São Paulo 24 de outubro de 2012








2 comentários:

  1. PARABÉNS, ANA! SEUS TEXTOS SÃO TÃO PERFEITOS QUE SENTIMOS VONTADE DE ESTAR AO SEU LADO APRECIANDO TANTAS E BELAS OBRAS DE ARTE DOS GRANDE MESTRES. UMA VISITA AO MASP É UMA VIAGEM MARAVILHOSA QUE FAZ BEM A ALMA E AO CORAÇÃO.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Edna!Para quem não pode ir à Europa, o MASP é uma boa pedida. Fica aqui no Brasil e tem um pouco dos museus de lá.

    ResponderExcluir