Google+ Followers

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

DESVENDANDO MEUS ANTEPASSADOS



Vasculhando um baú de fotos antigas que meu tio Ananias (grande figura humana) nos legou e que o meu pai, Edgy Távora Arruda, as preservou, copiando-as, na Aba Film, encontrei verdadeiras preciosidades. Somente analisando essas fotos, importantes documentos históricos de mais de um século, posso saber como eram fisicamente meus bisavós, tios avós e outros familiares que não conheci. Posso, também, imaginar pelas roupas e outros indícios, como viviam e como pensavam.
A fotografia, que tem o poder de congelar a imagem e, consequentemente, o tempo, me presenteia neste instante apresentando-me aos meus antepassados. Pesquisando textos escritos por meu pai e meus tios, Ananias e Francisco, e analisando fotos antigas, vou mergulhando no tempo em uma viagem fantástica ao encontro de minhas origens. Fotos esquecidas no fundo de um baú e cobertas pela pátina do tempo sempre me fascinaram. Como fez o meu pai, vou subtrair a pátina para legar aos meus descendentes este tesouro.  
Quando, em maio e junho de 2012, estudei História da Arte, em Paris, conheci, através de meu professor, Jean Eric Laffite, Christian Boltanski, fotógrafo, escultor e cineasta, nascido  em 1944, em Paris. Foi no Museu de Arte Moderna da Prefeitura de Paris (Musée d'art Moderne de la Ville de Paris), situado no 16º arrondissement de Paris, no Palais de Tokyo, que Jean Eric nos apresentou a este genial artista de arte contemporânea.
Boltanski está no sub-solo do referido museu, em três salas, com sua arte questionadora da fronteira entre a ausência e a presença. Trabalhando com fotos, vídeos e objetos que pertenceram aos que partiram, ele nos mostra a importância da preservação da memória dos seres humanos que nos antecederam. Boltanski procura a emoção através do tema sempre presente em sua obra como: a memória, o inconsciente, a infância e a morte. Uma das peculiaridades de Boltanski é sua capacidade de reconstituir instantes de vida, com objetos que perteceram aos que já partiram.
Seguindo as pegadas de Boltanski, vou tentar reconstituir alguns aspectos da vida de meus bisavós.  Para fugir a regra dos oito bisavós, que, geralmente, cabe a cada um de nós, pobres mortais, eu só tenho seis. Isto porque meu pai era primo legítimo de minha mãe. Vou desvendar suas almas, analizando textos e fotos bem antigas, deixadas como relíquias no fundo de um velho baú.

Ana Margarida Furtado Arruda Rosemberg
Fortaleza, 26 de setembro de 2012.


EURICO ARRUDA (1842-1931)

ANANIAS ARRUDA (1886-1980)

VICENTE ARRUDA (1876-1919)


JOSÉ ARRUDA (1877-1958)
RAIMUNDO ARRUDA (1893-1990)
PAI ARRUDA E MÃE MENTO
JEREMIAS ARRUDA (1882-1969)
JOÃO ARRUDA (1875-1947)
JOÃO ARRUDA E ESPOSA





MARIA LUIZA ARRUDA (1902-1978)

SEIS NORAS DO PAI ARRUDA - BATURITÉ - 1911

ELISA VASCONCELOS

FAMÍLIA PAI ARRUDA - BATURITÉ - 1911


 

 1)Luiz(Lulu) 2)José(Zeca) 3) Oscar 4)Ananias 5)João 6)Raimundo 7)Elisa 8)Eurico 9)Antonia Amélia(Totonha) 10)Vicente 11)Luiz 12)Jeremias 13)José(Zezé) 14)Antonio(Toinho) 15)Maria Letícia 16)Maria Creusa 17)Maria Adelina 18)Esther 19)Ana(Donaninha) 20)Mariana(Marianinha) 21)João Fanuel 22)Maria do Livramento(Mãe Mento) 23)Maria Luisa(Mimosa) 24)Miguel de Arruda(Pai Arruda) 25)Francisca Bezerra(Dindinha) 26)Joana(Mimica) 27)Margarida 28)Júlia(Julinha) 29)Maria de Lourdes(Lourdinha) 30)Maria Alacoque 31)Maria Sulita 32)Antonio Antonieli 33)Miguel 34)João(Coelhinho) 35)José(Detinho) 36)Francisco(Francisquinho) 37)Miguel(Arrudinha) 38)Miguel Olbers 39)Maria Júlia(Julita)


MARIA DO LIVRAMENTO (1856-1932)
MIGUEL DE ARRUDA - PAI ARRUDA (1849-1923)


CAPITÃO ANTÔNIO FURTADO E SEUS 10 FILHOS - BATURITÉ - 1911
  Sentado no centro, de barbas brancas, o CAPITÃO ANTÔNIO FURTADO DE MENDONÇA E MENEZES (1833-1917), meu bisavô materno. Ele teve 10 filhos. Isto confere. Tenho o nome e a data de nascimento e morte de cada um. 1) JOSÉ (1862-1918) ; 2) MARIA CRISTINA - IAIÁ (1863-1918) ; 3) ANTÔNIO (1864-1923) ; 4) ISABEL CRISTINA - BILOCA (1866-1931) ; 5) MANOEL SOARES (1867-1957) ; 6) HERMENEGILDO (1868-1953) ; 7) MARIA TERESA (1871-1960) ; 8) VASCO (1874-1957) ; 9) LUIZ DE GONZAGA (1875-1954) ; 10) MARIA URSULINA (1880-1964). LUIZ GONZAGA, meu avô materno, ESTÁ DO LADO DIREITO DA FOTO, EM PÉ, COM AS PERNAS CRUZADAS. E OS OUTROS? PRECISO IDENTIFICÁ-LOS


CAPITÃO ANTÔNIO FURTADO E FAMÍLIA - BATURITÉ - 1911









3 comentários:

  1. Parabéns, Ana por continuar preservando a memória de nossa família! Com certeza o papai estaria muito orgulhoso de você.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Edna. Fico feliz com o seu reconhecimento e, mais ainda, por continuar preservando o legado do nosso pai.

    ResponderExcluir
  3. Muito importante este resgate histórico de nossos antepassados, Ana.

    ResponderExcluir