Google+ Followers

sábado, 2 de junho de 2012

NYMPHéAS DE MONET

Musée L'Orangerie

Niobe e Barbosa - Casal 20 - Paris, Jardin des Tuleries
Nymphéas de Monet

Monet

Nymphéas de Monet


Contemplando as nymphéas de Monet no museu l'Orangerie, em Paris, ao lado da Niobe e do Barbosa, lembrei-me de uma poesia que fiz ao Rose, em 2006. 
Ao recita-la, causei emoçao. 

NUNCA MAIS

Nunca mais teu corpo belo e quente
A aquecer-me nas longas noites frias.
Nunca mais aquele amor ardente,
Cheio de encanto paixao e poesia.

Nunca mais teus sabios ensinamentos
De tuberculose, tabagismo e biologia molecular,
A saciar minha sede de conhecimentos
Além, querido, de tua cultura invulgar.

Nunca mais as viagens ao Velho Mundo,
Nossos passeios, unidos, de braços dados.
Nunca mais contemplaremos juntos
Felizes, aqueles museus encantados.

Nunca mais as nymphéas de Monet
Inundando de cores o nosso olhar
Festa para os olhos, como gostavas de dizer:
Matisse, Lautrec, Van Gogh e Renoir.

Nunca mais poder te oferecer
O meu mais puro, meigo e transparente olhar.
Nunca mais nas madrugadas te embalar
Com as melodias que eu gostava de cantar

Nunca mais tua voz, tua presença,
Teus doces beijos, tuas declaraçoes de amor
Somente a dor atroz de tua ausencia 
E o vazio sideral que me restou.


Ana Margarida
Sao Paulo, 8 de setembro de 2006.


Les Nymphéas sont une série d'environ 250 peintures à l'huile élaborée par Monet (impressionniste français) pendant les 30 dernières années de sa vie. Ces peintures représentent le jardin de fleurs et plus particulièrement le bassin de nénuphars de Monet à Giverny où seule la lumière varie comme on peut le voir également dans d’autres œuvres comme les tableaux de la série  La Gare Saint-Lazare. Beaucoup de travaux ont été peints tandis que Monet souffrait de cataracte.

Fonte: http://fr.wikipedia.org/wiki/Les_Nymph%C3%A9as

Traducao:

As Nymphéas sao uma série de, aproximadamente, 250 pinturas a oleo feitas por Monet ( impressionista français) durante os ultimos 30 anos de sua vida. Essas pinturas representam o jardim de flores e, mais particularmente, o lago de nymphéas de Monet em Giverny, onde so a luz varia, como pode-se ver em suas outras obras: os quadros em série La Gare Saint-Lazare. Muitos quadros foram pintados quando Monet ja sofria de catarata.


 

4 comentários:

  1. Que belo poema, Ana! Que pureza de sentimentos, de palavras, de encantamentos e de AMOR!

    ResponderExcluir
  2. DO FACEBOOK

    André Mota:

    TIA ANA. Poema muito bem elaborado escrito em quartetos. Saudade e memória do vivido, ao lado do companheiro que já partiu, permeia o todo texto. O tom é de tristeza e ao mesmo uma homenagem ao grande Dr. Rosemberg. Muito interessante, Parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pelas comentarios, Claudia a André.
    Fiz essa poesia com o coracao. Por isso, tem tanta emocao. Hoje, estou com muita saudade do Rose, mas é uma saudade doce, pois o amor foi preservado para sempre.

    ResponderExcluir