Google+ Followers

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

CLAUDIO MANUEL DA COSTA E O ARCADISMO

                           
Claudio Manoel da Costa, filho de João Gonçalves da Costa e Teresa Ribeira de Alvarenga,  nasceu em 5 de junho de 1729, no sítio da Vargem do Itacolomi, freguesia da Vila do Ribeirão do Carmo, atual cidade de Mariana (Minas Gerais). Faleceu em 4 de julho de 1789, em Vila Rica, atual Ouro Preto (Minas Gerais). Foi advogado de pretígio, fazendeiro abastado, pensador e poeta. Em 1749, aos vinte anos de idade, embarcou para Portugal para estudar na Universidade de Coimbra. Claudio teve importante carreira no campo político, literário e profissional. Acumulou grande fortuna e sua casa em Vila Rica, atual Ouro Preto, que está desafiando o tempo, era uma das melhores vivendas da cidade. 
Claudio Manuel da Costa teve importante atuação na Inconfidência Mineira ao lado do capitão José de Resende Costa e seu filho José de Resende Costa Filho, do poeta Tomás Antônio Gonzaga, dos coronéis Domingos de Abreu Vieira e Francisco Antônio de Oliveira Lopes, dos padres José da Silva e Oliveira Rolim, Manuel Rodrigues da Costa e Carlos Correia de Toledo e Melo, do cônego Luís Vieira da Silva, do sargento-mor Luís Vaz de Toledo Pisa, do minerador Inácio José de Alvarenga Peixoto e do alferes Joaquim José da Silva Xavier, apelidado de "Tiradentes".
Aos sessenta anos de idade,  envolvido na chamada Conjuração Mineira, Claudio foi preso.  Morreu  em circunstâncias obscuras na prisão, quando teria cometido suicídio ou sido assassinado. Dez dias depois da sua morte, os parisienses tomavam  a fortaleza da Bastilha, marcando o início a Revolução Francesa. Começava  a se concretizar, na Europa, o projeto político sonhado pelo próprio Cláudio para o Brasil. Somente trinta e três anos mais tarde o Brasil se libertaria de Portugal e cem anos seriam necessários para a implantação do regime republicano.
Claudio Manuel da Costa é considerado um dos melhores sonetistas de nossa literatura. Suas poesias estão condensadas no livro “Obras Poéticas”, poesias líricas, 1768. O arcadismo, escola literária surgida na Europa no século XVIII, foi introduzida no Brasil por ele.  O nome "arcadismo" é uma referência à Arcádia, região campestre do Peloponeso, na Grécia Antiga, tida como ideal de inspiração poética. A principal característica desta escola é a exaltação da natureza e de tudo o que lhe diz respeito.  Este belo soneto sobre o amor pertence à referida escola literária.

AMOR QUE VENCE OS TIGRES

                                    Claudio Manuel da Costa

 Destes penhascos fez a natureza
O berço em que nasci: oh! quem cuidara,
Que entre penhas tão duras se criara
Uma alma terna, um peito sem dureza!

Amor que vence os tigres, por empresa,
Tomou logo render-me; ele declara
Contra o meu coração guerra tão rara,
Que não me foi bastante a fortaleza.

Por mais que eu mesmo conhecesse o dano,
A que dava ocasião minha brandura,
Nunca pude fugir ao cego engano:

Vós, que ostentais a condição mais dura,
Temei, penhas, temei; que Amor tirano,
Onde há mais resistência, mais se apura.


Museu da Inconfidência em Ouro Preto. Antiga casa de Câmara e Prisão onde morreu Claudio Manuel da Costa

Museu da Inconfidência - Ouro Preto

Ouro Preto

Antiga casa de Claudio Manuel da Costa

Estação de trem de Mariana

Igreja de Mariana

Ouro Preto

Ouro Preto



Nenhum comentário:

Postar um comentário