Google+ Followers

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

ANANIAS ARRUDA – COMENDADOR DA SANTA SÉ



NASCIDO EM ARACATI-AÇU (SOBRAL) A 23/05/1886
FALECIDO  EM FORTALEZA-CEARÁ A 26/01/1980
SEPULTADO EM BATURITÉ-CEARÁ A 27/01/1980


Por MARIA JULIETTA TÁVORA DE ARRUDA MONTEIRO
Sobrinha paterna do COMENDADOR ANANIAS ARRUDA
Ex- aluna salesiana


Neste enriquecido documentário do Jornal “A VERDADE” e dos registros do livro “COMENDADOR ANANIAS ARRUDA: um exemplo de vida cristã, política e social” de autoria de meu irmão, CLEMENTE OLINTHO TÁVORA ARRUDA, em dois volumes, que trata da vida gloriosa e brilhante do tio Ananias, eu achei que muito pouco, ou quase nada,  foi dito do período de 23/05/1976, data do seu nonagésimo aniversário de nascimento a 26/01/1980, data de seu falecimento.

Acredito que as festividades comemorativas da passagem de seus 90 anos, foi o último evento social ao qual compareceu e participou. Depois deste “ENCONTRO DE FAMÍLIA E AMIGOS”, o tio Ananias decidiu viver recluso em sua modesta e simples residência, situada a Rua Tereza Cristina, nº 708 – CENTRO – Fortaleza-Ceará. Não mais frequentou as Igrejas para participar dos atos religiosos e passou a ter uma vida contemplativa em sua capela particular, onde permanecia horas em oração.

Corajoso e confiante na proteção de Deus, sempre se colocou a serviço de IGREJA, da FAMÍLIA e dos POBRES. Iluminou com sua FÉ, SANTIDADE, HUMILDADE E SABEDORIA  a vida de todos que o procuravam e a sua VELHICE foi uma fonte de GRAÇA E BENÇÃO. Sempre foi muito lúcido e fez de sua residência o seu mundo solitário, mas, acima de tudo, sagrado e de oração.

 Revestido de serena paz, recebia, com afabilidade, alegria e simpatia, seus familiares e com eles falava das coisas de DEUS, de sua paixão de evangelizador, de sua fé, de sua energia e de seu zelo apostólico. Despojado de seus recursos financeiros, de suas propriedades rurais e outros bens materiais, vivia modestamente de uma aposentadoria da Previdência Social de valor mensal não superior a  quatro salários. Em vida, distribuiu todo o seu patrimônio e fez significativas doações para beneficiar os pobres desabrigados, ordens religiosas, hospitais e tudo fazia com generosidade e desprendimento.

Sua condição financeira ficou tão precária que era visível a sua pobreza franciscana. O arcebispo de Fortaleza – Dom Aloisio Lorscheider, por ocasião de uma visita à sua residência, achou por bem convencê-lo a receber de volta uma propriedade – SÍTIO SÃO MIGUEL – BATURITÉ- CEARÁ – que havia recebido dele, em doação. Alegou Dom Aloísio, que a doação se destinava a uma reforma agrária, mas como não havia sido feita, não tinha sentido a Arquidiocese continuar com a propriedade. A venda deste sítio lhe assegurou uma fonte de renda razoável, necessária a sua manutenção de forma mais tranquila e estável.

TIO ANANIAS sempre recebeu atenções especiais de seus sobrinhos com destaque honroso para meu irmão – MIGUEL EDGY TÁVORA ARRUDA -  que se colocou à sua disposição. Passava em sua residência todos os dias e tudo fazia para que nada lhe faltasse. Recebeu, também, cuidados especiais e afetivos de suas duas filhas adotivas – ROSINHA E LUIZINHA – e de DONA MOCINHA, que residia com a família há mais de 30 anos e que, embora doente, portadora de deficiência renal grave, era responsável pelos afazeres domésticos e alimentação da família. Nesta tarefa, DONA MOCINHA recebia a ajuda de sua filha ELITA.

No que diz respeito aos cuidados com a saúde, TIO ANANIAS não era portador de doença grave e o Edgy contava com suas duas filhas médicas e uma enfermeira – ANA MARGARIDA – CLÊIDE   e  FÁTIMA  e seu sobrinho médico – ANTONIO CARLOS SANTOS OLIVEIRA que lá comparecia com frequência e atendia com muita disponibilidade qualquer chamado.
TIO ANANIAS não se prostou , não perdeu sua lucidez e, assim, respeitados os limites impostos pela idade, viveu seus últimos dias. Sentia-se feliz e agraciado por DEUS. Na tarde do dia 26/01/1980, fomos chamados à sua residência, TIO ANANIAS não passava bem. Lá comparecemos: seu único irmão vivo, RAIMUNDO ARRUDA (meu pai), minha mãe, NOEMY TÁVORA ARRUDA,  e alguns sobrinhos acorrendo ao chamado e todos ao redor de sua cama, em oração, faziam preces para que sua entrada no Paraíso fosse plena de luz e ELE recebesse o prêmio merecido que DEUS prometeu aos que lhe fossem fiéis. Meu pai e minha mãe, sentados ao seu lado, seguravam a mão do irmão querido que partia como um justo, heroi do Evangelho e da Euraristia e que havia colocado em Jesus todas as suas esperanças e fé.

Grandes homens o mundo conheceu. Grandes homens enriqueceram com seus exemplos a IGREJA, a SOCIEDADE e o  MUNDO. Nenhum deles foi tão audacioso, persistente, corajoso, capaz de ultrapassar todos os obstáculos, vencer todas as barreiras e limites para cumprir a missão evangelizadora de fé e de amor ao próximo que DEUS lhe confiou como meu tio. DEUS operou maravilhas em sua vida e sempre esteve presente tanto na calmaria como na turbulência.

Sua vida é um exemplo para todos nós.  
TIO ANANIAS, obrigada pelo que você representou e representa para nossa família. No céu, rogue a Deus graças e bençãos especiais para todos nós que temos o privilégio de fazer parte de sua família.


Um comentário:

  1. Adorei esta sendo pra mim compartilhar,desta história que faz parte de nossa vida,desde então os jovens tem que abraça sua história,temos quer ver o passado pra viver o futuro.E refletir em forma de um a aprendizado.

    ResponderExcluir